"Não tem glamour", diz Marco Pigossi sobre ser protagonista em novela

Marco Pigossi está prestes a encarar mais um protagonista de sua vida. Em "Boogie Oogie", o ator será Rafael, um piloto de avião comercial que vê sua vida mudar ao sofrer um acidente em que uma pessoa morre ao salvá-lo e traumatizado, ele perde a vontade de voar.
"O Rafael não vai superar isso. É um personagem muito interessante e que carrega um monte de conflitos", explicou o ator, durante a coletiva de imprensa do lançamento da novela, nesta terça-feira (22), no Projac, no Rio.
Pigossi, que vai se envolver com as personagens de Bianca Bin e Ísis Valverde, viverá seu segundo protagonista. O primeiro foi o florista Bento, na novela "Sangue Bom". "O meu maior desafio é distanciar esse personagem do Bento. Ele era muito sensível uma alma quase feminina. O Rafael não. Ele prático, impulsivo", revelou.
Questionado se está pronto para ser cobrado mais uma vez por ter o papel principal, o ator disse que sim e revelou que ser o protagonista de uma novela é um titulo meramente prático."Não é uma questão de qualidade de quanto você vai aparecer na trama. Não existe glamour. Da mesma maneira que têm protagonistas que não são incríveis, têm papéis secundários sensacionais", comparou o ator que faz pela segunda vez  uma novela das 18h. "Atuei em "Eterna Magia em 2007. Já fiz novelas de todos os horários", contou.
"Boogie Oogie" estreia no dia 4 de agosto, substituindo "Meu Pedacinho de Chão".

Fonte: Uol.com

Pigossi e Bianca Bin são casal fora de sintonia em Boogie Oogie


No início de Boogie Oogie, a nova novela das seis, Rafael (Marco Pigossi) namora Vitória (Bianca Bin), mas os dois não parecem estar em plena harmonia. O jovem piloto, após um acontecimento trágico que muda a sua vida, descobre que o amor e o ódio são sentimentos inseparáveis. A partir daqui a relação dele com Vitória jamais será a mesma. Já a filha de Fernando (Marco Ricca) e Carlota (Giulia Gam) tem certeza absoluta que Rafael é o homem da sua vida. Apaixonada, Vitória não medirá esforços para conseguir ficar com Rafael. Mas o amor é uma montanha-russa repleta de emoções. Eles que se preparem. 

Boogie Oogie é uma novela escrita por Rui Vilhena, com direção geral de Ricardo Waddington e Gustavo Fernandez e direção de núcleo de Ricardo Waddington. A estreia está prevista para agosto.

Fonte: Gshow.

Elenco e equipe se reúnem para apresentar Boogie Oogie à imprensa


Elenco, equipe e direção se reúnem nesta terça-feira, dia 22 de julho, para a coletiva de imprensa de Boogie Oogie, a nova novela das 6, que estreia dia 4 de agosto. O autor Rui Vilhena recebe os jornalistas junto com o elenco e a direção da novela, no Projac, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.


O mocinho da história, Marco Pigossi revela como foi se preparar para viver o piloto Rafael. "Fiz aulas. Pilotos são bem específicos, com um ponto de vista ao qual não estamos acostumados. Eles têm necessidade de adrenalina e liberdade. Já sei quase como colocar um avião no ar", conta.

Como Boogie Oogie se passa em 1978, na era da disco music, Pigossi explica sua relação com a dança. "As pessoas dançavam. Eu sou um desastre, sou bem duro. Adoraria viver o movimento disco", comenta o ator, que pesquisou sobre o período histórico e principais acontecimentos da época em que se passa a novela.

Boogie Oogie tem estreia marcada para o dia 4 de agosto. É escrita por Rui Vilhena, com direção geral de Ricardo Waddington e Gustavo Fernandez e direção de núcleo de Ricardo Waddington.

Fonte: Gshow.

Marco Pigossi adota visual anos 70 para estrelar novela "Boogie Oogie"

O ator Marco Pigossi passou por uma transformação no visual para entrar na nova novela das seis, "Boogie Oogie", que substituirá "Meu Pedacinho de Chão". A trama vai se passar na década de 1970, e o artista vai dar a vida ao personagem Rafael, e para isso, todo o look e figurino do galã foram trabalhados pela a equipe da história.
Na novela "Sangue Bom", o bonitão interpretou o boa praça Bento. Com os cabelos grandes e quase sem barba, Marco fez sucesso. Agora, o ator diminuiu os fios e está com aquela barbinha por fazer. Quem também mudou o visual foi a atriz Bianca Bin, que ficou loiríssima.
Um pouco sobre o início de "Boogie Oogie"
Em "Boogie Oogie", Rafael vai sofrer um acidente horroroso e deixará boa parte dos personagens preocupados. No acidente, ele vai ficar preso nas ferragens quando Alex (Fernando Belo) aparece para salvá-lo. Durante o resgate, Alex morre e deixa a noiva, Sandra (Isis Valverde), no altar aos prantos.

Fonte: Purebreak.

Voando alto! Pigossi será aprendiz de piloto

Em Boogie Oogie, a nova novela das seis, Marco Pigossi será Rafael, um jovem piloto que sonha em ingressar na aviação comercial. Na trama de Rui Vilhena que se passa em 1978, Rafael, que perdeu os pais no incêndio do edifício Joelma, em São Paulo, mora com os tios Mário (Guilherme Fontes) e Cristina (Fabíula Nascimento).
Romântico e idealista, ele é o herói imperfeito. As suas intenções são as melhores, porém as suas escolhas nem sempre são as mais corretas, porque o que o move... é o amor!
No início da trama, Rafael namora Vitória (Bianca Bin), mas um encontro inesperado com Sandra(Isis Valverde) vai mudar sua vida radicalmente.
Boogie Oogie é uma novela escrita por Rui Vilhena, com direção geral de Ricardo Waddington e Gustavo Fernandes e direção de núcleo de Ricardo Waddington. A estreia está prevista para agosto.
Fonte: Gshow.

Marco Pigossi e Isis Valverde: par romântico em novela das 18h


Foi batido o martelo: Marco Pigossi formará com Isis Valverde o casal protagonista da próxima novela das 18h, "Boogie oogie", de Rui Vilhena. Eles serão Rafael e Sandra na história, que se passará nos anos 1970.
Bianca Bin, a vilã da trama, será a terceira ponta de um triângulo amoroso que se desenvolverá ao longo dos capítulos. A história de Vitória, sua personagem, se cruzará com a de Sandra. As duas foram trocadas, ainda bebês, e criadas uma pela família da outra.
O elenco já se reuniu para o workshop da novela e deve começar a gravar as primeiras cenas no fim deste mês.

"Cultura como independência de pensamento" - por Marco Pigossi.

O titulo é chato, eu sei. Soa mais ou menos como aquela matéria optativa de faculdade que você provavelmente jamais escolheria, ou como aqueles cursos de auto ajuda feito pelos conhecidos “tudólogos” (pessoas que sabem de tudo um pouco, e nada sobre tudo). Mas juro que não é meu objetivo e se você tiver um pouco de paciência talvez consiga te abrir os olhos para uma questão interessante.
Há algum tempo atrás, em uma das minhas várias pontes aéreas, li na revista 29horas uma matéria sobre Danilo Santos de Miranda, diretor regional do SESC SP. Não vou ficar aqui tecendo elogios sobre ele, nem falar sobre suas incríveis conquistas na área da cultura, vale apenas lembrar que, ninguém menos que Fernanda Montenegro, enviou a Dilma um abaixo assinado pedindo que o colocasse como Ministro da Cultura.
Mas voltando ao assunto, Danilo a frente do SESC há 30 anos, disse uma coisa que me intrigou. E agora estou aqui dividindo com vocês. “A educação entendida somente como transmissão de habilidade, no sentido de aprender a fazer, não necessariamente dá autonomia ao indivíduo. Isso só acontece se, com a educação, vierem os princípios de valores individuais, de elementos que tornam a pessoa capaz de reconhecer o mundo a sua volta, de respeitar o outro e ter confiança em si mesma”. Ou seja, a literatura, o teatro, as artes em geral que trazem esses valores.
Convido vocês a refletirem sobre essa questão. Se é a cultura que nos torna independentes, com discernimento para agir, pensar, analisar, sentir, entre outros, então por que não damos a ela o valor necessário? Preguiça? Medo de sofrer? Medo de pensar? Duvido…
Estamos em ano de Copa do mundo no país, e em função disso, o teatro coitado… O que já se engatinhava agora parou, parou para ver a seleção brasileira passar. E eu paro também, espero a euforia passar, para aí então, tentar reviver a minha independência de pensamento: O teatro.

* ”Volte-se para si mesmo. Investigue o motivo que o impele a atuar; comprove se ele estende as raízes até o ponto mais profundo do seu coração, confesse a si mesmo se morreria caso fosse proibido de atuar. Sobre tudo isto: pergunte a si mesmo na hora mais silenciosa da madrugada: preciso atuar? Desenterre a resposta mais profunda. E, se ela for afirmativa então construa sua vida de acordo com tal necessidade.” Faço dessas palavras as minhas… sou apenas mais um apaixonado pelo teatro!